terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Reconhecendo o amor

Normalmente quando se fala em amor, nos vem logo a ideia de algo grandioso. Emoções intensas, cenas cinematográficas e as vezes até algum tipo de sacrifício.
Penso que o amor não é assim. Pra mim ele se revela em pequenas porções, quase imperceptíveis. É preciso estar atento.
Quem não atenta para o amor pode não percebê-lo e consequentemente não senti-lo.
Falo aqui do amor que vem do outro e que tanto nos faz bem, nos faz melhores. Temos o hábito de quase sempre desejar ou prever uma forma de expressão do amor que é nossa e não do outro. Simplesmente porque ele é diferente, pensa diferente , sente diferente...
Pode ser que o outro não tenha pra dar o que esperamos dele, ou apenas dá de seu jeito e como o jeito não é o nosso podemos nesse momento não identificar o amor.
As expectativas são as principais geradoras de frustração.
A maioria de nós, com nosso jeito torto de ver as coisas temos dificuldade de reconhecer e muitas vezes, receber o amor.
É como se tivéssemos um sensor mal regulado que nos impede mensurar o amor que nos é doado.
Desta maneira, cada um modela o amor que vem do outro a sua maneira. Mesmo sendo grande, pode ser tornar pequenino pela distorção interna de cada um de nós.
Mas podemos redimensionar esse sentimento tão valioso que recebemos todos os dias. Fazer do "pouco" o muito.
Focando corretemente e procurando deixar de lado nossas expectativas,
iremos, finalmente, perceber a grandiosidade do amor que vem do outro, valorizando cada pequeno gesto e sentir todo o seu sabor.

7 comentários:

Margarida disse...

Que bom ler-te. O amor, o tema mais falado mas se calhar, o menos vivido na sua verdadeira essência. Dizem que o amor é cego, mas eu não concordo. O amor, o verdadeiro, tem a visão mais apurada de todas. Como dizes, foquemos correctamente. Beijo.

LUIZ MALVINO disse...

O amor na essência é grandioso. Emociona, envolve, enobrece o ser...
Reconhecer o amor é uma arte que nem todos tem o poder para tal.
Eu, por minha parte, vivo o amor, sinto o amor e acabo me envolvendo - Graças a Deus feliz...
E você, nessa postagem descreve com muita destreza esse sentimento tão ímpar.

Beijos,

Marido

Ana Maria ( Jeito de Casa ) disse...

oi Norma

Que linda mensagem...
tinhas que postar esses sentimentos num blog mesmo... amor é cuidado, carinho, querer bem...
Já estou vendo aumentar as seguidoras...
bjus amiga, tudo de bom pra vc!!

Margarida disse...

Adorei o comentário do marido! Que bom ser feliz, não é? Passei aqui só para dizer que o meu pequenito se fartou de fazer perguntas sobre esses dois que se estão a beijar na tua foto. Que curioso que ele é! Mas realmente, são bonitinhos. Beijo.

Anna Rachel disse...

Querida, realmente perceber as várias formas de amor e amar nem sempre fazemos, mas precisamos nos disciplinar para tal.
Concordo tb q as expectativas são as principais geradoras de frustrações (infelizmente).
Bem, de qq forma, só depende de nós fazer de cada dia um dia melhor!! ;D
Ahhh, qta coincidência entre nós... meus pais são naturais de Campos. Irei para lá no dia 25 almoçar com minha vó!
Obrigadíssima por oferecer o 'correio' via seu maridão. ;D
Bjs no coração e excelente dia.

Anônimo disse...

É Norma... carencia não é mole não... quando a gente precisa, toda atenção e todo amor parece pouco mesmo...rs
Mas fico feliz de ver seu dom pra perceber as sutilezas das demonstrações de afeto. E carinho é muito bom mesmo. Quem não gosta? Até um bichinho gosta. Eu tinha um peixinho uqe gostava de atenção, sabia? Não da nem pra acreditar. Mas vc me fez lembrar o imortal Arthur da Tavola. No livro "Do amor - Ensaio do enigma", ele diz: "transformar pequenos gestos de amor em grandes gestos é arte pra poucos". Fico feliz de vc ser assim...
um abraço de urso
Sergio

Rafa e seus pensamentos disse...

Boa noite!

Também penso que o amor verdadeiro não seja esse amor que faz a gente sofrer,esse amor que traz sofrimento e as vezes dor que vemos por ai.
Na verdade confundimos a palavra amor com egoismo.

Tenha uma boa noite