quarta-feira, 31 de agosto de 2011

E agora Zé?

Rio de janeiro, 31 de agosto de 2011.


Querido irmão!
 Por que teve que ser assim? A gente tinha combinado de ficar sempre juntos, mas a vida nos deu uma rasteira e você partiu. Aliás, as partidas sempre foram uma constante em minha vida, mas a sua ficou cravada em mim a ferro e fogo. Como acordar de manhã sem a tua presença? Como seguir em frente sem você? Nosso convívio foi intenso, feliz e coroado de verdade. O seu carinho, o seu abraço, a sua voz doce sempre me impulsionando, me valorizando, me fazendo acreditar que era capaz de tudo. Eu bem que queria ter a sua força, a sua coragem de homem menino, que adorava dar risada de tudo e me dizia: "não tenha medo querida! a vida é puro risco." Você não tinha medo. Manteve a serenidade até diante da morte. Nunca vou esquecer. Sabe querido,  tem tantas coisas que queria compartilhar com você hoje. Ainda, muitas vezes quando acordo de madrugada, penso em ti e no que dizias..."pode me ligar a qualquer hora... vou sempre poder falar contigo minha fofinha." Que falta me faz esta possibilidade. Poder dividir a vida, os sentimentos, os anseios e tudo o mais que habita minha cabeça torta que tu conhecias como ninguém. Amparo, esta palavra define você. Sempre atento às minhas necessidades emocionais, sempre capaz de me compreender. Nunca julgava. As suas mãos estavam sempre ali ao meu alcance. Foi (é) extremamente difícil ficar sem você.
O irmão mais querido, o irmão mais irmão, mais amigo. O seu amor me sustenta até hoje. Ele me fez quem sou e tenho um tremendo orgulho disso. Por falar em orgulho... nossa Zé, o teu sobrinho Gabriel que  tanto amavas, terias muito orgulho dele. Quando ele era bebezinho e chorava você me dizia: "não acode ele agora não... espera. Deixe ele chorar um pouco. Tem que frustar pra que ele possa ser feliz quando crescer." Então, eu segui seus conselhos de sábio e hoje ele nem parece ser filho único. Foi muito bem frustrado e dá conta da própria vida numa boa. Ah, e o que você falou sobre o apartamento da Silva Castro? "Nunca venda. Meu sobrinho vai crescer, vir estudar no Rio e morar aqui."
Pois então meu profeta, aconteceu exatamente assim. Hoje ele mora lá, onde você viveu até o fim e diz ter muito orgulho do tio Zé. As vezes eu pergunto se ele não quer morar num outro lugar maior e ele diz: "Não Mãe, eu sou muito feliz aqui!"
Ah Zé, que amigos fantásticos vocês dois seriam...palavras do próprio Gabriel.
Outras coisas que você profetizou também já estão aqui no pedaço, tipo: compras sem sair de casa, cartões magnéticos que abrem portas, Tvs que penduramos na parede feito quadros e etc...
Os quadros que trouxestes de Salvador estão comigo, lá em Friburgo e o que você pintou também. Nossa! tem tantas coisas que foram tuas comigo e que não poderia enumerá-las aqui agora.
Quando sinto muita saudade, releio suas cartas, brinco com alguns mimos que você me deu. Mas tem horas que só mesmo a tua presença poderia preencher minh'alma. Você foi parte de mim e não tem um dia sequer que eu não pense em você. Dizem que as pessoas são esquecidas depois que partem desta vida e de fato acontece com a maioria. Mas não com o Zé... Os amigos em comum sempre relembram com saudade, com um sorriso no rosto e dizem: "grande Zé!"
O Malvino, que não te conheceu, te conhece bem de tudo que já falei de você pra ele - e assim como todos os que te conheceram - gosta muito de ti. Você ia gostar muito dele também... um homem ímpar que está ao meu lado desde 97. 
Pois é... 18 anos que você partiu. Se fosse hoje, não teria acontecido. Ainda não descobriram uma cura pra AIDS, mas já é possível viver com a doença e ter uma vida normal. Sabe, acontece uma coisa curiosa. Eu sempre sonho contigo e nos meus sonhos você é um ser ressuscitado e sem mácula, como se nunca tivesse ficado doente: lindo, feliz e morando na Barata Ribeiro. A gente sempre se encontra lá e o seu telefone ainda é o mesmo... 2362129, e no sonho querido, eu posso sempre ligar pra você. Zé, o meu amor continua aqui. Vai estar sempre comigo. Pra sempre. Porque viver me remete a você. Tudo que aprendi foi com você. O gosto pela beleza, o senso estético, o bem querer ao próximo, a ética, a verdade acima de tudo. Lembra de você me ensinando a falar sem o sotaque do sul quando cheguei no Rio? Que sarro era aquilo! E o "bicudo"? Que riqueza nossa história.
Obrigada meu irmão querido. Você me deu tudo que um pai daria e muito mais.
Me deu o amor incondicional tão vital para uma pessoa se tornar ser humano.
Esteja certo que se não fosse por você, a Norma não existiria.
Até um dia... nas estrelas.
Com o mais puro amor da sua irmãmiga pra sempre...  ;D




Olha você na praia aos 22 anos! êita!!!

E esta felicidade toda em Salvador...

Esta foi lá no MAM...como a gente brincava de eco...eco...eco...

Uma de nossas muitas risadas juntos.

 Em Saquarema. Anos de sonho que vivemos por lá.

Do jeito que eu mais gostava, abracadinha com você.

Minhas pequenas grandes lembranças...


Fotos, pedrinhas, conchinhas...

E as cartas que de tanto lê-las, as sei de cor.
***



E a letra, que sem saber, Kleiton e Kledir fizeram pra nós!
Vamos ouvi-la?


Muita luz.

Bjos, :*)  :*)  :*)

26 comentários:

Ilaine disse...

Palavras de carinho e de amor para o irmão querido. Sua carta é emocionante, Norma. Em cada linha dá para sentir o carinho que tens pelo Zé, que ainda te acompanha. As cartas, as conchas e todas as lembranças que ficaram... da pessoa que tanto amavas. Também perdi meu irmão num acidente de moto em POA. Tenho uma carta escrita para ele, mas nunca a postei.

Vou ficar aqui mais um pouquinho para ouvir a música mais uma vez.

Fique bem!
Beijo!

jeito simples disse...

Ila querida,
Meu irmão foi a pessoa mais importante de minha vida. Foi minha melhor referência. Nunca conheci ninguém com tanta força e bondade.
Merecia tudo de bom e sofreu tremendamente com a doença. Ver uma pessoa que amamos profundamente e que é só bondade é muito doloroso.
Ele foi forte até o fim. Lutou o que pode contra esta vírus maldito que consumiu sua vitalidade, degradou todos os seus órgãos, mas não conseguiu abalar seu coração.
Em sua ultima visita, o médico que o acompanhava disse. " Ele está muito debilitado, mas o coração está preservado. Por isso ainda se matem vivo. O coração dele é muito forte!"
Foi um guerreiro do bem.

✿ chica disse...

Que emocionante,Norma.Tu sempre consegues isso...

Te entendo bem pois perdi uma irmã também que tinha apenas 19 anos.

Mas essas saudades ficam para sempre, nunca terminam. Lembramos sempre e temos certeza que vamos nos reencontrar.

Lindo teu carinho, teu post, tuas lembranças! beijos, tudo de bom,chica

Ana Maria disse...

oi Norma

Não sou daquelas pessoas mais religiosas, gosto de rezar pra nossa senhora que é mãe, e acredito que´ela conversa melhor com Deus pela gente, é feminina, nos atende e entende...mas acredito muito que se somos muito ligadas a uma pessoa vamos encontra-la mais tarde, afinal uma ligação assim não pode acabar...
menina, estou debulhando de chorar com teu relato tão rico, finalizando com esta letra maravilhosa que conta tudo. Acho que teu irmão era teu herói!!!!!
ah, amiga, tinhas que usar essa tua veia escritora,vc fala direto ao nosso coração! isso é um dom!!!!

forte abraçooooo e um grande bjo no seu coração

Anônimo disse...

Norma, hoje é um dia de tanta saudade para ti, mas ao ler o que escreveste, pensei em te dar parabéns, por ter tido tantas coisas boas ao lado desse AMIGO, incondicional, "coisa rara" nesta vida. Muitos passam e não tem esta sorte, O Zé, do qual também fui sempre fã, cumpriu sua missão com brilho e s i m p l i c i d a d e, outra palavra que vives intensamente.
Te deixo aqui um afetuoso e carinhoso abraço, também ao Gabriel e teu marido Malvino.

Bira Brites

Renato disse...

Parece que foi ontem....Estava no lotação e aquele rapaz, magrinho, pediu licença para sentar ao meu lado. Vi que estava olhando uns classificados de emprego e perguntei:
-Estas procurando emprego?
-Sim, pois onde trabalho não tem futuro. Só fico tirando pó de caixas de remedios.
-Vem comigo, acho que tenho um lugar para você...e foi assim que começou nossa amisade.Muito competente logo começaram as promoções. Aprendeu ingles sentando nas primeiras filas dos cinemas e fechando os olhos
e falava um ingles perfeito.
Um dia falou-me,muito encabulado, que no domingo não almoçava, pois o calabouço ficava fechado. Passou a almoçar la em casa, começou a amisade com a familia.
Norma! o Zé é tudo isto que você fala e mais um pouco. Um grande amigo, companheiro, conselheiro e um grande psicologo. E ainda previu e acertou na profissão de meus 4 filhos.
Todos os dias quando faço minhas orações o nome do "Marques" sempre é lembrado
um grande Beijo
Renato

jeito simples disse...

Bira, obrigada por seu carinho. Sei que vc era fã do Zé assim como ele era tbm seu. Realmente é um privilégio pra mim ter vivido esta história de amor a amizade tão preciosa. Receba tbm o meu abraço.

jeito simples disse...

Renato querido..ontem falei de você aqui em casa. Que bom ler seu relato. Sei que foste um grande amigo e incentivador dele. Certamente foi papai do Céu que colocou você no caminho dele. Obrigada por tudo que fizestes por ele e por nós.

Anônimo disse...

..... e agora, Norma???? Comemorar e celebrar a oportunidade de conviver com um irmão maravilhoso... entendo todo o seu depoimento, esteja certa.
Beijos!
Marília

Cris disse...

Não tenho mt pra fala, As suas palavras são lindas.
Bjs

Tina disse...

Oi

Vim através do Blog de Regina (Casa de Retalhos), ai de cara li sua carta, já me emocionei, chorei...Ele com certeza será uma estrelinha + brilhante no céu com essa sua homenagem liiinda.

Lembrei de um texto do Pequeno Príncipe:
"As pessoas têm estrelas que não são as mesmas. Para uns, que viajam, as estrelas são guias. Para outros, elas não passam de pequenas luzes. Para outros, os sábios, são problemas. Para o meu negociante, eram ouro. Mas todas essas estrelas se calam. Tu porém, terás estrelas como ninguém... Quero dizer: quando olhares o céu de noite, (porque habitarei uma delas e estarei rindo), então será como se todas as estrelas te rissem! E tu terás estrelas que sabem sorrir! Assim, tu te sentirás contente por me teres conhecido. Tu serás sempre meu amigo (basta olhar para o céu e estarei lá). Terás vontade de rir comigo. E abrirá, às vezes, a janela à toa, por gosto... e teus amigos ficarão espantados de ouvir-te rir olhando o céu. Sim, as estrelas, elas sempre me fazem rir!"

Bom...vim pelo nome de seu Blog, vou dar mais olhadas em tudo e seguir seguindo, minha primeira blogueira do Rio, sonho em ir no rio, ficar aos pés do Cristo, passear em Copa...

Beijos e uma doce quarta pra vc.

maria Eliza disse...

É será sempre com muita saudade que esse irmão será lembrado. Era uma pessoa inteligente, muito acima da média, tinha a predisposição para entender os que estavam em volta. Grande Zé. Saudade...
Maria Eliza

dollystar disse...

Tocante todas as suas homenagens a esse irmão querido; foi teu norte, teu sul, tua bússola, teu mago, teu guru; Esteve presente nas horas felizes e não te faltou nos momentos angustiantes. Acho que esse exemplo deveríamos seguir todas...reavaliar nossas emoções, nossos conceitos e preconceitos para sermos lembrados com saudades em algum momento da caminhada de nossos entes queridos.
parabéns por ter tido um Zé em tua vida!
Que Deus abençõe a ti e a teu lar
bjs Dolly

Gabriel disse...

ótimo texto, mãe! ficou lindo!
beijos! te amo!

Ana Hampe disse...

Olá, Norma. Tão lindo teu relato... me senti até como se conhecesse o Zé... rsss. Me emocionei, confesso. Bom, sou mesmo muito emotiva e acho lindo esta fala de amor, companheirismo, cumplicidade!
E esta música de meus conterrâneos, então... fala por si!!! grande bj

Sílvia Rosa disse...

Norminha, eu como boa "manteiga derretida" já derramei minhas emoções... muito bonito tudo o que você escreveu e o sentimento que viveste e vive ainda...lindo! Um dia iremos encontrar novamente estas pessoas amadas, creio nisso...
Beijo imenso!

LUIZ MALVINO disse...

Como você diz "ele se foi antes do combinado", e com isso, não tive o tempo necessário para ter a felicidade de desfrutar da alegria do convívio com o nosso querido Zé.
A emoção ao ler esta sua "carta" é inevitável, ainda mais para mim que convivo com você e estou sempre a par das suas lembranças - que são muitas - do seu irmão tão querido.
Os sonhos não terminam nunca e ao contrário ele nos alimenta de esperanças. Eu concordo com a Chica quando ela diz que um dia a gente vai se encontrar.
Beijos em seu coração lindo e muita luz para o nosso querido irmão Zé.

Cris e Nai disse...

Bom Norma não tem como não se emocionar com tão profundo amor,também sofro dessa saudade de quem não está aqui, mas acredito que a vida não é só isso aqui e as grandes afinidades são eternas é só uma questão de tempo. Bjs!!Cris!!

Mariacininha disse...

Que bom ter dentro do seu baú de lembranças um amor tão grande por um querido irmão. É comovente.

Beijos

Mariacininha

Regina disse...

Querida Norma, a saudade doi, ainda mais a saudade por uma pessoa querida que já se foi. Mas você, no entanto, consegue o que muitos não conseguem, em momentos de extrema dor preservar tudo de bom que viveu com seu irmão. E tudo de bom que viveu e aprendeu com ele você semeia ao seu redor. Isso é grandeza de alma.

jeito simples disse...

Regina, penso que grandeza de alma tinha ele, mesmo vivendo neste mundo tão cruel. Agora, certamente sua alma se expandiu e ele brilha no céu com toda a sua luz.
=)

márciauebe disse...

Ei querida Norma,
Entendo como é difícil p/vc a ausencia do querido Zé. Até hoje tenho lembranças das conversas, do aprendizado e das gargalhadas deliciosas. As vezes me pego olhando p/os retratos e tenho muita saudade, porque quando ele amava alguém, amava intensamente, verdadeiramente e honestamente. Quando conheci o Zé do Rio (como chamávamos) ele foi uma referência única. O carinho que tinhamos era tanto, que ele passou quase todos os dias da minha lua de mel junto comigo e Mário; rimos tanto neste Rio de Janeiro; foi com ele que conheci o jardim botânico e aprendi que a vida se estendia além de Belo Horizonte.
Tenho tantas fotos..vou copiar e te mandar.
Todos nós aqui amamos o Zé intensamente, ele foi a referência da família do nosso pai.
Estive com ele bem já no final; a única tristeza que tenho é que escrevi uma carta e não deu tempo de mandar. Tenho guardada até hoje, mas é o meu segredo com ele.
Ah! Zé do Rio, como vce faz falta!!
Mas como Deus foi generoso em nos conceder a alegria de te ter como amigo, como primo.
Ele passsou pela nossa vida p/deixar marcas profundas de aprendizado, amor, carinho (foi o primeiro homem que vi demonstrando afeto, carinho, beijos e alisamento de mão rsrsrs).
Saudades, saudades

zana dias disse...

...quem sabe se o lado de lá, afinal não é pertinho do de cá?!

Daniele disse...

Amiga, me emocionei tanto com seu post que nem tive coragem de postar nada no dia que li.
Tenho meus 3 meninos ao meu lado até hoje e não imagino minha vida sem eles.
Fiquei daqui tentando imaginar o tamanho da tua dor ao perder alguém tão querido. Só vc sabe, minha amiga!
Sua dor é única.

Imagino que do lado de lá, ele também sinta a mesma saudade.

Que o tempo não apague jamais esse amor, mas amenize a cada dia mais a sua dor.

Beijinhos em seu coração.

Anna Rachel disse...

Norma QueridA, qta emoção em suas palavras.
Tão tocantes, tão marcantes, tão emocionante q é difícil segurar as lagrimas ao ler sua linhas.
Infelizmente ele se foi antes do combinado, mas q maravilhoso q vc não deixa q o sentimento e amor existente entre vcs seja esquecido.
No próximo mês fará 2 anos q quase perdi meu irmão mais novo. Todo o período de coma e internação foi muito doloroso, mas felizmente ele não se foi. Senti muito medo e consigo imaginar o q sente.
Tenho certeza absoluta q seu irmão te acompanha sempre. Amor grande assim não acaba... ultrapassa barreiras e tempos. ;D
Bjs no coração e abraço apertado e acolhedor.

CamomilaRosaeAlecrim disse...

Olá Norma...tive que vir aqui, ver e imaginar a saudade que vc deve sentir, mas gostei de ver suas lembranças e memórias tão lindas...
Beijos e muita paz...!
CamomilaRosa