quarta-feira, 29 de junho de 2011

Quietude


Lá se vai mais um dia
Indo embora como o vento que passa,
Sem que eu possa detê-lo.
Assim é e sempre será.

Luminescente vem a lua.
Branca? Prata? Tom a descreveu amarela. Como saber...
Eterna dúvida, eterna dádiva,
Resplandecendo a noite
Tornando-a mais bela e mágica.
Ontem, hoje e sempre.

Suave mistério
Que acalenta sonhos, nina ilusões...
Sorrateiramente nos embriaga,
revelando nossos mais intensos desejos
No brilho único das estrelas.


Em junho de 1985, num momento de solidão existencial.


Tenha um dia feliz!
Bjos, :*)  :*)  :*)

8 comentários:

Ilaine disse...

Norma, querida!

Ninar ilusões! Revelar desejos ao brilho das estrelas!

Menina, que coisa mais linda! Estou encantada com este texto. E, para complementar, uma imagem surpreendente.

Obrigada por esse post maravilhoso. Você é demais! Forte abraço!

✿ chica disse...

Que maravilhosa e profunda tua poesia,Norma!Adorei e a imagem, linda também! beijos,chica

Lizete Delmonte Ferraz disse...

Você que escreveu?...lindo texto...alma de poeta...?

Vim lhe desejar um lindo dia...!
Espero que aí esteja mais quentinho...por aqui, muito frio...nem dá vontade de sair da cama...
Beijos, com carinho...

Mariacininha disse...

Eu não disse, atrás desta senhora simples, mora uma poeta (ou poetisa). Gosto mais de poeta.
Lindo Norma, já esta morando no meu caderninho de escritos favoritos.

Beijos

Margarida disse...

Quem bem que valeu a procura da lua! Está linda! E o texto, só prova que é "naqueles" momentos que crescemos. Pode até parecer-nos invisível esse crescimento, mas ele está a acontecer e o fruto vem depois. Beijinhos.

Eliete disse...

Norma, minha querida ! são nos momentos de solidão existencial que o encontro com o que essencial acontece. bjs

Anônimo disse...

Vc e muito inteligente e criativa,sabe usar bem as palavras,e para completar coloca cada foto excepcional!!!!!! Beijos Lili.

Regina disse...

Norma, você está realmente inspirada. Suas últimas postagens, mais do que nunca, emocionam.