quarta-feira, 22 de junho de 2011

Era uma vez duas lagartas amigas que passeavam pelo jardim durante suas longas conversas primaveris. Esta prática diária dava a elas a oportunidade de estreitar os laços e admirar a linda paisagem local. Era um jardim farto de folhas suculentas e deliciosas que elas viviam a devorar sem nenhum pudor. A primavera estava chegando ao fim e passados muitos dias, uma delas disse a amiga: " Então, penso que já não temos mais muito tempo. Os dias estão ficando mais curtos e precisamos fazer nossos casulos." Mas sua amiga não estava tão preocupada com o assunto, afinal havia tanto ali para se desfrutar...
A lagarta que se preparava para começar o casulo, se despediu e foi a procura de um lugar ideal. Os dias seguiram e sua amiga continuou caminhando sozinha pelo jardim. Seu corpo sinalizava que ela tinha um trabalho a realizar. Mas ela esperava...Um dia, observou uma folha com um casulo que se mexia e se aproximou. De repente, ele se rompe e exibe uma linda borboleta. A lagarta se surpreende quando ela lhe diz: " Olá amiga!!! vc ainda está assim, lagarta?! "
E a lagarta espantada responde: " Nossa! o que aconteceu com você?! " ao que a outra respondeu: " Não sei dizer amiga. Só sei que fiz meu casulo, dormi, meu corpo se transformou e acordei assim, uma linda borboleta...adeus, vou voar para meu destino! Os campos floridos me esperam! " A lagarta estava pasma com o que vira e então naquele momento decidiu que seria assim, linda também. Rapidamente entrou no casulo da amiga, se aninhou e ficou lá a espera de sua metamorfose. Os dias se passaram, até que, cumprindo seu ciclo biológico, morreu, sem nunca ter chegado a ser borboleta...



Esta estória me foi contada por meu amado irmão, José Marques Junior, quando eu tinha 16 anos.  Nunca mais esqueci e sempre a conto para alguém, com orgulho de ter tido um irmão tão maravilhoso que me amou incondicionalmente. Obrigada Zé. Você está e sempre estará aqui, dentro de mim.


                                           

11 comentários:

Josinete Beatriz disse...

LIndo Blog e linda história, amiga! Gostei e estou seguindo, com muito carinho! Te convido a conhecer Sonhos e Artes e se gostar, venha pra ficar, que eu vou tre muito prazer em te receber!Bjus. Josi

✿ chica disse...

Linda essa história e mais ainda porque foi te contada pelo teu irmão ... Muito legal esse sentimento todo! beijos,ótimo dia!chica

Lizete Delmonte Ferraz disse...

A história...linda...sensível...profunda...
A homenagem ao irmão...eterna...delicada...emociona...
Você é uma pessoa de muita sorte por ter um irmão que a amou incondicionalmente e mais importante ainda: deve tê-la ensinado a amar incondicionalmente...uma das coisas que eu considero mais dfícil de se conseguir aqui, na terra...
Um dia lindo!
bjs com carinho...

Ana Maria ( Jeito de Casa ) disse...

oi Amiga, que lindo!!!!
na vida a gente sempre tem o que aprender e se surpreender...
ainda ontem estávamos conversando com a filhota que família é tudo, é com quem a gente verdadeiramente pode contar!!!!!!
olha, não cheguei a receber tua mensagem no celular, as vc tinha me falado pelo msn que iria pra lá.

bju bju querida

Margarida disse...

Mais palavras para quê? Bonita, essa história e essa vossa relação. O bom do amor é que dá sempre para dividir e para multiplicar. E é isso que fazes.

varandasazuis disse...

Olá Norma...

Que belas lembranças vc tem...me emocionei!

bjos...

Angela Bergamaschi disse...

é uma bela historia,uma linda lição de vida, adorei..bjos

Regina disse...

Bela estoria Norma, um pouco triste. Que bom que tenhas lembrancas como essa de seu amado irmao.

Ilaine disse...

Uma linda história, Norma, e que levemos a sua mensagem. Um post que me emocionou... ao falr de seu irmão. Conte-me mais dele. Beijo!

Anna Rachel disse...

Quanta sensibilidade minha querida amiga!
Qto amor tb!!
Concordo plenamente com a Ana Maria; família faz toda diferença.
Bjs em seu coração. ;D

LUIZ MALVINO disse...

Essa linda história nos leva à reflexão.
O tempo urge e as oportunidades devem ser tratadas com a mesma urgência.
O casulo representa as nossas atitudes, os nossos anseios, os nossos sonhos, que não devem nunca ser deixados p'ra depois.
Devemos construir o nosso casulo, pois dependemos dele para despontarmos para a felicidade.