segunda-feira, 28 de março de 2011

Vivendo e aprendendo

Até bem pouco tempo, vivíamos cercados de milhares de coisas. Quando digo milhares não estou exagerando nem um pouco, pois uma pesquisa recente revelou que uma casa de classe média brasileira tem aproximadamente 5000 itens entre, mobília, eletrodomésticos, objetos de decoração, utensílios, roupas, artigos de uso pessoal, etc... Quando li isto fiquei mesmo impressionada e pensei imediatamente se de fato, nós precisamos de tudo isso para viver bem.
Na minha cabeça soa como exagero, mas se eu fosse enumerar todas as coisas que temos em casa, possívelmente chegaria perto. Já faz um tempo que eu e Malvino buscamos exercitar o desapego e comprar apenas o necessário. É uma tarefa difícil pois o sistema capitalista nos empurra o tempo todo para o consumo desenfreado. Sua mensagem é sempre a mesma: " compre, compre, compre..." Estar atento a isto se faz extremamente necessário sobretudo nos dias de hoje em que o planeta agoniza e pede socorro ante todo o lixo que o consumo produz. Depois que viemos morar no Rio, há 3 meses, já vimos absurdos jogados no lixo: uma cama chipandele, janelas de madeira maçica em perfeito estado, portas antigas, uma cômoda precisando apenas de uma boa pintura entre outras coisas. Vivendo hoje em um apartamento pequeno, muitas coisas deixamos pra tráz e descobrimos que de fato, se precisa de muito pouco pra viver. É possivel, por exemplo, se ter apenas uma armário pequeno na cozinha com a louça e panelas necessárias. Um armário embutido de 4 portas abriga as roupas de nós dois. A gente vai juntando, acumulando e pensando que tem que ter tudo aquilo pois pode precisar...precisa nada gente. Percebo hoje que me livrei de um tipo de escravidão. Não quero ter mais um monte de tralhas pra me dar mais trabalho e depois ficar angustiada por não ter espaço suficiente pra guardar. Estou feliz com este aprendizado meio forçado, mas que me mostrou a real necessidade da quantidade. Aprendi que o pouco é suficiente.
Não sinto falta de coisas, sinto falta das pessoas, do lugar, do verde, das plantas, do ar puro, do canto dos passarinhos e de poder contemplar a natureza que se exibia majestosa a nossa frente. E isso tudo, não se guarda em casa, mas sim na mente e no coração!


A natureza que se exibia em frente de nossa casa.


Um bom dia pra você!
Bjos, :*)  :*)  :*)



16 comentários:

chica disse...

Esse teu aprendizado foi lindo! Valeu! Eu procuro agir aqui em casa, há muiiiiiiiiiiiiiiitos anos ,assim: Se entra uma coisa, sai outra. Compro ou ganho um casaco, outro sai! Assim faço com tudo e sempre há alguém parece esperando o que deixo pra trás.Incrível. Uma linda semana por aí e tudo de bom,chica

Brechó Recicle Online disse...

Oi amiga! Se der procure ler " Simplicidade Voluntária" de de Duane Elgin, fala sobre se viver com pouco e só com o nescessário! Muito interessante e mudou minha vida...rsrsr

Bjs e adorei o post como sempre...rs

Adelaide disse...

Sabe que depois que comecei a mudar-me mais de cdade descobri exatmente isso...tudo o que precisamos é de muito pouco.
Tenha uma ótima semana
Abraços

Ana Maria ( Jeito de Casa ) disse...

oi Amiga

Vivendo e aprendendo, mas o desapego é uma coisa bem difícil, te que ter muita vivencia e maturidade.
Confesso que além de tudo gosto de guardar uma tralhinha.... algo que ainda vai servir um dia... meu marido já é bem mais prático.

bjus

Margarida disse...

Oh minha linda, que bonito. Estou sem palavras e muito emocionada. Concordo com as tuas palavras e sei que elas estão gravadas em ti pela vida, com lágrimas. Força e que esta aprendizagem vos transforme em pessoas ainda maiores do que já são. Beijinhos.

Mariacininha disse...

Norma, não é preciso acrescentar mais uma palavra ao seu post hoje.
Quem viveu em uma paisagem assim não precisa mesmo de nada.

Beijos

Mariacininha

ONG ALERTA disse...

Um belo aprendizado mas é para poucos, beijo Lisette.

Angela Bergamaschi disse...

Norma, ja vivo assim ha muito tempo,tambem morava em uma casa enorme e depois da separação me sinto muito feliz em um ap de dois quartos , é de bom tamanho ,mas nao gosto de entulhar coisas, por isso nao guardo nada que nao uso por muito tempo, é a lei do um entra outro sai.bjos e boa semana.

Angela Bergamaschi disse...

Norma, ja vivo assim ha muito tempo,tambem morava em uma casa enorme e depois da separação me sinto muito feliz em um ap de dois quartos , é de bom tamanho ,mas nao gosto de entulhar coisas, por isso nao guardo nada que nao uso por muito tempo, é a lei do um entra outro sai.bjos e boa semana.

Anna Rachel disse...

É isso aí Queridona, mas desapegar é tão difícil!!...
Eu sou muito apegada às minhas coisas e sou mtuio, muito mais às pessoas de quem gosto e, vez em qdo, fica tão difícil. Até me sinto sufocada. Hsss.
Parabéns por praticar o desapego e nos lembrar q não adianta juntar e juntar, mas sim... aproveitar a VidA! ;D
Bjão e OBRIGADA SEMPRE pelo carinho seu e do Malvino. :*

doces abobrinhas disse...

a simplicidade é tudo de mais puro ! para mim o maio luxo: é ser simples! adorei seu cantinho, um bj doce e apareça nas abobrinhas
roberta
www.docesabobrinhas.com

LUIZ MALVINO disse...

Ainda tenho muito que aprender neste propósito...
Tenho mania de guardar coisas. Gosto de manipular lembranças... Me faz bem relembrar momentos a partir dos objetos. Nem parece que sou aquariano. Mas aos poucos vou me desvencilhando das minhas manias, afinal de contas as perdas fazem parte da vida. É duro, mas é a pura verdade !!!!
Bjs.

Marido

Minha vida, Meus momentos disse...

Olá adorei seu blog
estou te seguindo

bjs

Myrian disse...

Tudo muito bom, tudo muito bem, mas o que fazer dos muitos presentes dados pelos amigos queridos, das heranças recebidas das pessoas amadas que ser foram?
Não tenho apego a nada que eu mesma tenha comprado, mas o que me traz uma recordação é muito difícil de me desvencilhar.
Você me entende, não é?
Bjs.

Daniele disse...

Tudo que eu escrevi se foi...que ódio!!!!

Vou resumir...desapegar é preciso. O problema é que eu me desapego e ocupo o lugar vazio num instante.

Fui ao Méier antes de você se mudar, florzinha...anotou o endereço da lojinha????

Vamos ao SAARA no sábado, topas???

Beijinhos

Batata Roxa disse...

Oi, Norma,
Compartilho desse aprendizado!
É preciso tempo e amadurecimento para constatar que com coisas simples e básicas, vive-se melhor!
Ter em excesso é se aprisionar de várias maneiras!!!
Estou seguindo você, adorei sua maneira de pensar e dizer!
Bom Fim de Semana!!!
Bjs