sábado, 5 de março de 2011

Um século de Victória

Querida Mãe,
Faz 17 anos que a gente não se fala, não se vê. Quando a gente se despediu antes de você ir pra Brasília em 93 e eu chorei muito, naquele momento pensei no meu sonho de criança, aquele de ser rica e poder comprar uma rua inteira e construir casas para todas as pessoas que eu amo poderem morar perto, lembra? Pois é, se o meu sonho tivesse se realizado, você não teria partido e nós poderíamos ter ficados juntas por mais 7 meses... Hoje resolvi te escrever na intençao de uma homenagem ao seu centenário. Viu Mãe, um século que você esta fazendo hoje! Se você estivesse aqui conosco, faríamos com certeza uma festa daquelas, com bolo e guaraná que você tanto gostava...mas sabe, já não se faz guaraná como antigamente. O gosto mudou muito. Outra coisa que já não se faz é drops de aniz, não sei porque, era tão bom . Mãe, Gabriel está um homem tão bonito, um filho de ouro, como você costumava dizer. Ele está estudando engenharia e fazendo estágio. Um orgulho só. Ele ainda tem o carrinho que você deu pra ele quando bebê... A Marina mora na beira da praia, você ia adorar passar um tempo com ela, já pensou??? Miguel está em Friburgo com a família. Eu e Malvino saímos de lá depois da enchente. Ah, Mãe, você não conhece o Malvino,( ele é o outro genro de ouro que você tem..) mas ele te conhece bem, afinal todos os dias eu faço uma citação a você, principalmente através dos ditos populares que aprendi. Eu os uso o tempo todo e gosto muito. Fiz até um lista com muitos deles, pois acho que de todos mesmo é capaz de eu não lembrar..são todos tão verdadeiros Mãe...que bom ter aprendido isto com você. Aprendi tudo com você, mas crochê só consigo fazer a "correntinha", não sai disso. Ah, a Manhama continua morando lá pelos lados de Brasília e a Marília, bem, possivelmente vocês já se encontraram... Estou passando uns tempos aqui em Copacabana, o bairro que você tanto amava, mas Mãe, isto aqui tá uma loucura de tanta gente, um verdadeiro formigueiro, cheio de vitrines para sua alegria!!! Agora tem os shoppings que tem uma loja atrás de outra, nossa, você ia ficar doida com tanta vitrine pra olhar, ah, o supermercado Disco também não existe mais e nem as Casas da Banha. Mas a vida é assim mesmo. Umas coisas ficam, outras se vão. Preciso te pedir perdão por uma das minhas tantas falhas com você... o disco do Jessé cantando a música " Porto solidão" que você tanto amava e me pediu que comprasse e eu nunca comprei. Sinto tanto arrependimento Mãe. Hoje, quando escuto esta música, eu choro feito criança. Me perdoa Mãe! naquele tempo eu não compreendia as suas razões. Tem coisas que só a maturidade nos mostra.
Agora tenho 53 anos e já posso usar a expressão que você tanto usava.." tenho mais de meio século nas costas"! Pois é Mãe, tô velha já, cheia de ruguinhas, aquelas que você tanto detestava ver em seu rosto, mas minhas pernas estão como as suas, limpinhas. Espero que continuem. O cabelo está bem grisalho atrás, como o seu. Tenho muita saudade Mãe... Do cafuné, das sopinhas, do angú frito, do frango com batatas, (apesar de hoje não comer mais frango), de você me chamando de bandida, do abraço mais acolhedor deste mundo, da sua risada gostosa mas sobretudo de seu amor incondicional...
Sonho sempre com você e outro dia sonhei assim: fui abrir a janela da sala lá de casa e você estava do outro lado sorrindo...então eu falei: "MÃE!!!" e comecei a chorar de emoção por vê-la tão lindinha ali diante de mim, no que você me respondeu: " filha, não chora, estou feliz, eu estou com Jesus! "
Que Deus te abençoe Mãe, por mais todos os séculos que virão.
Te amo pra sempre. Um beijo da sua bandida, Norma.


D. Victória, na flor de seus 40 anos.


 
e a música que ela tanto amava...


P.S. Mãe, esqueci de te contar, já são 7 tataranetos!!!!





22 comentários:

Brechó Recicle Online disse...

Lindo amiga! Estou ...Emocionada e arrepiada da cabeça aos pés! Sou muito emotiva e sensivel!

Adoro ser como sou...Enchergo a verdade nos olhos das pessoas,me arrepio com a emoção do outro e esse seu post mexeu com meus sentidos! Adorei. Parabéns...

Bjs e um bom carnaval pra vc...Alalaôôôôôô...rs

Regina disse...

Você me fez chorar. Estou aqui na cozinha tomando café, e chorando. Acho que essa capacidade que temos de nos colocarmos no lugar do outro é que nos faz humanos.
Minha mãe está com 86 anos, e nessa expectativa de viajar para o Brasil na quarta-feira, eu fico aqui pensando se essa será a última vez que estarei com ela.
Lindo Norma, essa homenagem que fez a sua mãe.

Daniele disse...

Norminha, você me fez chorar de emoção.
Mãe é mãe e ainda tenho o prazer de conviver com a minha e agora mais pertinho de mim.
Não imagino como será o dia que ela partir (ou eu), é uma relação tão estreita, tão uterina que mesmo após a morte do corpo, o espírito continua vivo dentro de quem se ama.
Com a minha vózinha foi assim...ela partiu no mesmo ano que sua mãezinha e também estaria completanto um centenário. Talvez, por isso, tenha me emocionado mais.
E sinto falta das mesmas coisas que vc descreve. Vovó era maravilhosa!
A melhor de todas as criaturas que "eu" já conheci.
Morreu porque tinha o coração grande, literalmente grande...

Sinto sua presença até hoje.
E tem coisas que para sempre me farão lembrar daquela pequena-grande mulher: Aqua Fresca (Boticário) e a música Segura na mão de Deus e vá...

Beijos carinhosos e afagos para ti.

Angela Bergamaschi disse...

BEIJOS PARA VOCE MINHA AMIGA...TENHA UM BOM FIM DE SEMANA...ANGELA

Ana Amélia disse...

Norma do Céu , sem palavras , estou muito emiocionada.Olhando a foto da sua mãezinha ,vi que vc é muito parecida com ela.Um abraço beeeeee apertado. Ana Amélia.

chica disse...

Norma, que emociomnante e linda carta! Fiquei presa nela e adori a parte do DISCO e CASAS da Banha, peguei esse tempo quando meorei no Rio e minha mãe adorava.

Linda homenagem pra ela que está no teu coração e de onde está, tenho certeza, te manda um sorrisinho de felicidade por ver tanto que és querida e uma filha das bem lehgais mesmo.

ADOREI!!! beijos,tudo de bom,chica

Margarida disse...

Lindo mesmo. Uma homenagem bem emocionante, de levar às lágrimas. E que privilégio ter uma mãe assim e sentir sentimentos assim. Dói a saudade, mas é uma doce lembrança que faz crescer a alma. Lindo.

Mariacininha disse...

Norma você é uma das minha novas amizades, que masi emoção me faz sentir, alegria, tristeza, chorar, sorrir... Acho que isto é uma amizade com A maiusculo.

Ah, linda Dona Victória. Eu ainda tenho a D. Luiza com 79 anos.
Eua ainda acho que vou ler um livro de cronicas de sua autoria.

Beijos, da sua fã
Mariacininha

casa decorada disse...

Norma , obrigada pela visita e ja me instalei aqui me seu cantinho....bj te espero para se hospedar por lá ok ...bj

milu disse...

AH QUE COISA MAIS LINDA, MINHA QUERIDA!!! LEMBREI MTO DA MINHA MÀE E CHOREI....TEU BLOG É MUITO DELICADO E SURPREENDENTE...AMOOO!!bJS.

Amarílis disse...

Amada Norma Sueli;

fiquei muito emocionada com suas palavras, com as suas recordações que também são minhas, trouxe-me lembranças dos tempos de outrora.
Só temos que agradecer pela mãe que tivemos...

Beijos da Manhama.

LUIZ MALVINO disse...

Saudades do tempo bom que não volta mais. Hoje Edília está feliz como no sonho seu. E a nós nos cabe rezar e agradecer ao Criador as lembranças e o privilégio de vivermos tantas emoções juntos. Quando nos conhecemos não cheguei a tempo de estar com a Edília, porém também sinto saudades dela como se tivesse conhecido e convivido com ela. A sua homenagem é muito emocionante. Beijinhos no seu coração, muita paz e parabéns a Edília!↲TE AMO !↲MARIDO

márcia cintra disse...

Norma ,
Que bela homenagem !!!
Abs !
Márcia

márcia cintra disse...

Norma ,
Que bela homenagem !!!
Abs !
Márcia

Amy ♫ disse...

Oi Norma,

Muito bonito seu Blog!
São lindas suas histórias *o*

Anônimo disse...

Norma querida, gostei bastante da homenagem. Sei o quão querida vc. era para sua mãe. Não se cobre tanto. Vc. não é diferente de qualquer filho. Nós enquanto filhos, e com os pais vivos, não temos noção do quanto esta relação é importante e intensa, só quando eles nos faltam é que tomamos o susto. Mas a vida é assim, precisamos viver, aprender e entender que não somos diferentes de ninguém. A sabedoria vem com o tempo, e se falhamos (e falhamos porque somos humanos), só nos resta lembrar das coisas boas que vivemos e nos perdoar. Afinal, a vida não tem ensaio, é para valer o tempo todo. Eu tenho certeza que D.Edília, onde quer que ela esteja, torce por vc., com muito orgulho. Com admiração da sua amiga. Maria Eliza

Anônimo disse...

Oi linda, lembrei-me dela lendo isso.. Era um ser encantador. Fico feliz em ter vc no meu viver!Querida me mande por favor seu telefone ta.To mudando para Teresopolis no final de março!Amo vcs.
Fátima

Anna Rachel disse...

Nossa Norma Querida! Qta emoção em suas lindas palavras.
Essa carta é pura emoção e doação.
Querida, quem não chorou lendo tudo isso e se colocando em seu lugar e transferindo todo esse sentimento para si mesmo?
Q D. Vitória siga seu caminho no Céu, iluminando, zelando e guiando os caminhos da família por aqui.
E q foto linda!!! Ela é tão linda qto vc!!
Obrigada por compartilhar conosco mais um pouco de vc e sua história.
Parabéns por esse jeito... simples e extremamente lindo de ser. ;D
Te adoro de montão!!
Bjs no coração e na alma.

jeito simples disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Norma, a carta "enviada" à Dona Edília está linda demais.
Fiquei muito emocionada com as suas palavras, vindas lá do fundo do coração.
Voltei ao passado e relembrei as muitas e muitas oportunidade que tive de estar junto dela, com aquela simplicidade que os puros de coração possuem.
A casa da Jerônimo Pinto, quantas vezes eu o seu tio estivemos lá. O rocambole que ela sabia fazer com maestria e tanta coisa bonita que ela sabia fazer e sabia transmitir em palavras e em atitudes.
O lugar onde está, agora só cabem aqueles que viveram semeando o bem, como ela fez quando estava aqui .
Beijos
Neusa

Tina disse...

Resolvi comentar ao vir aqui pelo post de hoje, mas ai, faltou palavras.
Eu sem palavras é bem raro, raro como amor de mãe.

Anônimo disse...

Cheguei aqui por acaso. Fiquei muito
emocionada, é lindo demais! Quisera
ter palavras para descrever o que senti ao ler a carta...me fez recordar o quase nada que vivi com minha mãe, que se foi há meio século.
Bjs